Inovação

CORREGEDORIA QUER ESTABELECER PADRÕES DE SEGURANÇA NOS SERVIÇOS EXTRAJUDICIAIS

Compartilhe :

Em sua primeira reunião, o Comitê de Gestão da Tecnologia da Informação dos Serviços Extrajudiciais (COGETISE), da Corregedoria Nacional de Justiça, discutiu a forma de implantação do Provimento nº 74/2018 pelos representantes dos serviços extrajudiciais do país.

“É imprescindível que a atividade extrajudicial, responsável pelo armazenamento de milhões de dados e informações de usuários, adeque-se à realidade atual, acompanhando a evolução tecnológica e garantindo a segurança jurídica pretendida e esperada por toda a população”, afirmou o juiz auxiliar da Corregedoria Jorsenildo Dourado do Nascimento, no ato representando o corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins.

O Comitê de Gestão da Tecnologia da Informação dos Serviços Extrajudiciais foi estabelecido pela Corregedoria Nacional de Justiça, por meio do Provimento n. 74, de 31 de julho de 2018. Ele tem por finalidade divulgar, estimular, apoiar e detalhar a implementação das diretrizes da respectiva norma, que dispõe sobre os padrões mínimos de tecnologia da informação para a segurança, integridade e disponibilidade de dados para a continuidade da atividade pelos serviços notariais e de registro do Brasil.

“A necessidade de se estabelecer padrões mínimos de segurança nos serviços extrajudiciais decorre da constatação, pela Corregedoria Nacional de Justiça, da vulnerabilidade encontrada em diversos cartórios durante inspeções realizadas. Cartórios extrajudiciais com armazenamento de livros de forma inadequada, em locais insalubres, sem as mínimas condições para se manter, em segurança, as informações dos usuários”, explicou o magistrado.

O COGETISE é formado por representantes da Corregedoria Nacional de Justiça; das Corregedorias de Justiça dos Estados e do Distrito Federal; da Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg/BR); do Colégio Notarial do Brasil – Conselho Federal; da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais do Brasil; do Instituto de Registro Imobiliário do Brasil; do Instituto de Estudos de Protesto de Títulos do Brasil e do Instituto de Registro de Títulos e Documentos e de Pessoas Jurídicas do Brasil.

FONTE: Corregedoria Nacional de Justiça


Compartilhe :

Notícias Relacionadas

Inovação

12 de julho de 2019

RIO DE JANEIRO APRESENTA CENPROT NACIONAL AO TABELIONATOS DE PROTESTO

No último dia 10, na sede da Anoreg RJ, foi apresentada a todos os Tabelionatos…

Leia Mais →
Inovação

29 de Janeiro de 2019

UNOPAR – OFERECE CURSO DE SERVIÇOS JURÍDICOS

As opções são para superior de Tecnologia, Bacharelados e Licenciaturas A Universidade Norte do Paraná…

Leia Mais →
Inovação

03 de Janeiro de 2019

Blockchain: tecnologia que irá revolucionar a integração de dados distribuídos globalmente será destaque em 2019

O blockchain ganhou notoriedadedevido a popularização do Bitcoin, porém essa tecnologia não serve apenas como o…

Leia Mais →
Inovação

22 de outubro de 2018

Recupere seus créditos a qualquer hora, 24h por dia, todos os dias da semana

Protestar Uma Dívida Ficou Ainda Mais Fácil!   Recupere seus créditos a qualquer hora, 24h…

Leia Mais →
Inovação

02 de outubro de 2018

Cartórios extrajudiciais tendem a se tornar ambientes cada vez mais digitalizados

“A sociedade do papel e do carimbo está com os dias contados”, afirmou a doutoranda…

Leia Mais →
Inovação

24 de agosto de 2018

Boleto vencido a partir de R$ 400 poderá ser pago em qualquer banco

A partir deste sábado (25), será possível pagar em qualquer banco os boletos vencidos com…

Leia Mais →
Inovação

17 de agosto de 2018

TJRJ adota modelo inovador nas cobranças de tributos municipais

“Devo não nego, pago quando puder”. Esse provérbio popular é coisa do passado. Com o…

Leia Mais →
Inovação

13 de agosto de 2018

O que está em jogo com a nova Autoridade Nacional de Proteção de Dados

É necessário uma Autoridade independente, com autonomia técnica e dotada de meios necessários para realizar…

Leia Mais →
Inovação

06 de agosto de 2018

CNJ: Corregedoria define mínimo de equipamentos para cartório funcionar

Os cartórios de todo o País terão que ter um padrão mínimo de equipamentos tecnológicos…

Leia Mais →